Em continuação a 1°Parte desse artigo, no qual,  falamos  sobre “RESPONSABILIDADE SOCIAL A ÉTICA NO MUNDO CORPORATIVOdaremos continuidade ao assunto com a 2°parte:

A ÉTICA NO MUNDO CORPORATIVO E RESPONSABILIDADE SOCIAL – 2ª PARTE

Por Luiz Eduardo Gasparetto

A sociedade está mudando. Hoje não aceitamos mais empresas que poluem o ambiente em prol da realização de seus lucros, não aceitamos empresas que não respeitam seus colaboradores e clientes, não aceitamos empresas que pretendem “passar a perna” em seus fornecedores, empresas que sonegam impostos.

E começamos a perceber que nós, que somos a sociedade, podemos influenciar no comportamento das empresas através de ações mais contundentes, porque as empresas são sistemas abertos, isto é, interagem com o meio ambiente onde atuam e estão localizadas.

Hoje, é tão grande a preocupação mundial com a responsabilidade social que a ONU (Organização das Nações Unidas) estabeleceu, em 2000, oito metas para serem atingidas até 2015. No Brasil essas metas são chamadas de 8 Jeitos de Mudar o Mundo (se deseja saber mais sobre isso entre em contato com o PNUD-Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, pelos sites www.pnud.org.br ou www.odmbrasil.org.br.

São as seguintes essas 8 metas:

– acabar com a fome e a miséria

– educação básica de qualidade para todos

– igualdade entre sexos

– reduzir a mortalidade infantil

– melhorar a saúde das gestantes

– combater a aids, a malária e outras doenças

– qualidade de vida e respeito ao meio ambiente

– todo mundo trabalhando pelo desenvolvimento

Metas ambiciosas para qualquer país, principalmente para o Brasil, que vai necessitar da ajuda de todas as empresas para atingi-las, pois elas têm possibilidades de atuar em todos esses campos. É ai que se manifesta a responsabilidade social empresarial.

É evidente que algumas empresas, em vista das novas exigências da sociedade, terão que mudar sua cultura e filosofia, porque estavam acostumadas a fazer o que bem entendiam e, hoje, precisam se preocupar em fazer o que querem, mas com responsabilidade social (que é a ética aplicada nos negócios das empresas).

Mas o que é responsabilidade social? Podemos dizer que é o compromisso voluntário da empresa com o desenvolvimento da sociedade onde tem seus negócios, obtém seus recursos, alcança seus lucros e com quem interage.

Muitos confundem ações de filantropia praticadas pela empresa com a responsabilidade social, mas há uma grande diferença entre elas. A filantropia deve ser entendida como uma ação continuada da empresa de doar bens ou dinheiro a instituições que desenvolvem atividades meritórias para a sociedade. É, portanto uma doação, onde o compromisso da empresa se resume apenas nisso mesmo: doar.

Já a responsabilidade social é um compromisso voluntário assumido pela empresa, com ações constantes visando o desenvolvimento da sociedade com as quais ela interage e convive e com os indivíduos dessa sociedade. A responsabilidade social, ao contrário da filantropia, exige que a empresa esteja envolvida e comprometida com esse compromisso e com as ações dela resultantes.

Por fim, podemos dizer que responsabilidade social é hoje um diferencial estratégico da empresa, isto é, um ponto que pode distinguir a empresa de seus concorrentes e criar uma imagem positiva dela no mercado e, por decorrência, entre seus clientes atuais e potenciais. E isso deságua naturalmente no grande objetivo da empresa, como falei no post anterior: MAXIMIZAR O VALOR DA EMPRESA no mercado.

Leave a Reply


*