A MUDANÇA

Por Luiz Eduardo Gasparetto

Lembra do último Natal? Compare com natais anteriores de 5, 10 ou 15 anos e veja como, provavelmente, pessoas queridas não estarão mais ao seu lado neste próximo Natal.

Lembre que naquela época seus filhos eram pequenos e corriam pela casa na noite de Natal aguardando a chegada do Papai Noel. Hoje eles cresceram, não correm mais pela casa, trazem seus filhos para a ceia e talvez um deles tenha que dividir a noite de Natal entre sua casa e a casa dos sogros.

Aqueles sobrinhos que vinham até sua casa nessa noite talvez não venham mais, agora eles têm suas próprias famílias. O consolo é esperar pelos netos para poder novamente ouvir aquela algazarra de antigamente na noite de Natal.

Fatos acontecem diariamente e mudam a realidade de nossas vidas e, por isso, temos também que mudar e criar soluções novas a cada dia para continuarmos desfrutando das felicidades da vida.

As empresas são organizações humanas como o são as famílias. Todo dia fatos novos mudam a sua realidade e criam novos cenários, tanto no Brasil como no mundo. E a boa empresa é aquela que sabe reagir de forma rápida e eficaz a essas mudanças inevitáveis e que alteram tanto nosso dia a dia.

Uma coisa é certa: não existe uma posição definitiva que nos mantenha sempre em nossa zona de conforto. Segundo Maslow (autor da teoria da hierarquia das necessidades) estamos sempre alternando entre satisfação e insatisfação.

As mudanças acontecem todos os dias: as tecnológicas que tornam os processos obsoletos, as ligadas a informática que rapidamente tornam nossos programas ultrapassados, as legais que restringem muitas vezes as operações, as econômicas e sociais alterando o relacionamento no mundo dos negócios e entre as pessoas.

As mudanças são hoje rápidas, dinâmicas e em grande quantidade e não é mais possível que a empresa tenha, como antigamente, dois ou três heróis que irão comandá-las. Agora as mudanças têm que acontecer rapidamente e em toda a empresa e, por isso, é preciso que todos os colaboradores estejam prontos para enfrentá-las e de forma alegre e voluntária. As pessoas precisam ser competentes e estarem motivadas para realizar aquilo que precisa ser realizado para acompanhar as mudanças e não se deixar atropelar por elas.

Hoje o desafio gerencial é exatamente esse: levar competência e motivação para todos para que possam conduzir as mudanças necessárias na sua área de influência.

Hoje o papel dos gestores é o de agente de mudanças, criando um ambiente de estímulo para mudança de comportamento e de introdução de novas tecnologias, processos e de relacionamento interpessoal. E isso ele consegue através do reforço a comportamentos construtivos e de desafios profissionais a seus comandados, informando, estimulando e ajudando a criar alternativas.

Transformar seus subordinados também em agentes de mudanças e não em simples cumpridores de ordens é uma das missões mais nobres dos gestores.

Leave a Reply


*