A cultura organizacional, também chamada de cultura corporativa, é um conjunto de ações que são estabelecidas, compartilhadas e seguidas por todos dentro da organização, através de um sistema formal ou informal amplamente divulgado, composto de pressupostos, valores, crenças, tabus, ritos, símbolos e normas. Em outras palavras, a cultura organizacional informa a todos “como queremos que as coisas sejam feitas por aqui”.

cultura

Cada empresa tem a sua própria cultura e é essa cultura que a distingue das outras organizações. Podemos dizer que a cultura da empresa é o seu DNA, único e exclusivo, que a identifica entre outras empresas.
Mas a cultura organizacional pode ser uma das fontes frequentes de situações problemáticas nas organizações, principalmente como resultado das fusões, incorporações, privatizações e reengenharias, cada vez mais comuns no mundo dos negócios e exigindo uma intensa atuação do profissional de Recursos Humanos.

Sempre que acontece uma dessas situações na organização vemos empresas que acabam se transformando muito e algumas até acabam se descaracterizando, como é o caso das que passam por fusões ou incorporações, e isso leva a necessidade de uma grande mudança e acomodação dos colaboradores à nova situação.

No caso de junção de duas empresas em uma só a situação não é nada confortável, principalmente para os colaboradores que estavam na empresa mais “fraca” no processo, a que foi de alguma maneira absorvida pela outra empresa. E em todo processo mesmo que de fusão há sempre uma empresa mais “forte” do que outra. Esta, normalmente, quer fazer prevalecer a sua cultura organizacional e ai começam os conflitos.

Muitas fusões ou incorporações não tiveram o sucesso previsto ou até não deram certo devido, muitas vezes, a dificuldade dos colaboradores de uma das empresas em aceitarem uma nova cultura, o que leva a resistência implícita ou explícita dos profissionais “absorvidos”. Eles simplesmente não aceitam a nova situação e a encaram como uma verdadeira luta entre “conquistador” e “conquistado”.

Nesse momento o profissional de Recursos Humanos é muito importante, tanto aquele que está do lado da empresa que incorpora quanto o que está na empresa incorporada. Eles é que atuarão para que não prevaleça a ideia de que uma guerra está acontecendo com o objetivo de impor uma cultura sobre a outra. A ideia é que uma terceira cultura poderá surgir incorporando o que existe de positivo nas culturas das duas organizações.

Categories: Gestão, todas

Leave a Reply


*