DESCRIÇÃO DE CARGO: É MESMO UMA CAMISA DE FORÇA?

Por Luiz Eduardo Gasparetto

Muitos profissionais de diversas áreas criticam a descrição de cargo dizendo que ela é uma camisa-de-força, que “engessa” o profissional, que não o deixa criar e se desenvolver e que acaba levando a acomodação. Será mesmo?

Na minha opinião, a descrição de cargo é de grande utilidade para funções que executam trabalhos repetitivos e aonde o turnover é elevado, mas de pouca utilidade para funções que estão sempre se modificando e que exigem constantes análises e julgamentos do colaborador.

Nesses casos, uma descrição de cargo congela as atribuições em um determinado momento do passado, conforme foi entendido por quem a escreveu, e com isso ela se mantém vigente por muito tempo.
Nesse caso ela pode mesmo “engessar” o executor, inibir sua iniciativa e criatividade ou então permitir que ele encontre desculpas para não executar aquilo que não está descrito em sua descrição de cargo mas que precisa ser feito. Dá a ele a abertura para dizer: “minha descrição de cargo não prevê isso”.

Categories: Carreira, Gestão

Leave a Reply


*