Empresabilidades das Organizações

Por Luiz Eduardo Gasparetto

Já escrevi aqui neste blog dois textos sobre empregabilidade, mas ainda não escrevi nada sobre empresabilidade. A primeira vez que li sobre esse assunto foi no livro Empresabilidade, escrito pelo consultor de empresas José Roberto Saviani e editado pela Makron Books em 1997.

Achei interessante o assunto, porque na verdade existe nas empresas a preocupação com a empregabilidade de seus colaboradores, isto é, a preparação e desenvolvimento profissional para aproveitar novas oportunidades de trabalho. Mas não se percebe, por parte das empresas, a mesma preocupação com a empresabilidade, que é a ação da empresa ao preparar-se e se tornar atraente para a manutenção daqueles colaboradores chave que não querem se acomodar no cargo que ocupam e que, por isso, procuram melhorar sua empregabilidade.

Para que isso aconteça, segundo Saviani, é preciso que a direção da organização adote posturas e planeje ações no sentido de “abrir espaço” para que tais profissionais queiram permanecer nela.

Essa preocupação se torna ainda mais importante quando percebemos que cada vez mais os representantes da geração Y (pessoal que hoje tem entre 20 e 30 anos aproximadamente) estão chegando à empresa e alguns já em cargos de direção, e esse pessoal é extremamente ambicioso e quer crescer rápido.

No momento em que percebem que na empresa onde estão não conseguiriam esse crescimento ou então não teriam novos desafios, eles não têm nenhuma dúvida em procurar outra organização para trabalhar, já que fidelidade ao empregador, como acontecia com gerações anteriores, não é característica desse pessoal.

Outra preocupação das empresas, e que se apresenta como um paradoxo, é que é fundamental aumentar a empregabilidade de seus colaboradores, principalmente os que ocupam cargo chave, mas quando fazem isso se torna ainda mais fundamental aumentar a empresabilidade para manter esse pessoal interessado em permanecer nela.

Qualquer organização sem empresabilidade está fadada a manter em seus quadros apenas profissionais mais acomodados ou que, por algum motivo, não procuram novos desafios.

É preciso empresabilidade para manter pessoal com alta empregabilidade!

Categories: Gestão, todas

Leave a Reply


*