Falar em público é um dom divino?

Por Luiz Eduardo Gasparetto

Falar em público é uma exigência cada vez mais frequente no mundo dos negócios, principalmente para os cargos de gestão, e pode se tornar uma experiência traumatizante para algumas pessoas.
A apresentação de resultados, os relatórios diversos, as sugestão de novos projetos ou a venda de uma idéia são comuns nas organizações e é preciso que o gestor tenha desenvolvida essa competência que, aparentemente, é simples: falar em público.
Parece simples, mas será mesmo?
Uma pesquisa realizada nos EU mostra que falar em público é o quarto maior medo dos gestores americanos e só é superado pelos medos da morte, de doenças e do desemprego. E, neste caso, o que não é bom para os gestores americanos também não é bom para os gestores brasileiros?
Apesar de desconhecer pesquisa nesse sentido realizada por aqui, tenho certeza de que esse receio de se apresentar em público também tem um grande numero de seguidores. Pelo menos é o que indica a quantidade de títulos de livros a respeito do assunto que são vendidos ou a participação intensa de profissionais, políticos e outras categorias em cursos que procuram desenvolver essa competência.
E por que o medo? É que temos o receio de esquecer alguma coisa importante que deveríamos falar, de não agradar aos que estão assistindo nossa apresentação ou a de não falar coisas que tenham importância para o público.
Para se sair bem nessa tarefa é essencial o domínio de técnicas básicas de apresentação em público que podem facilmente ser adquiridas e treinadas, dando assim mais segurança para quem vai falar.
Começa com o conhecimento do assunto que será apresentado, porque desconhecer o que vai falar é mais que meio caminho para uma apresentação lamentável. Esse é o primeiro e mais importante ponto. Falar de improviso pode ser natural para algumas pessoas, mas são poucas, e nas apresentações de negócios com certeza é maio caminho andado para o fracasso.
Depois, treine e treine muito. Faça apresentações na frente do espelho, monte uma platéia com parentes ou amigos, grave seu treino em gravador ou vídeo. Assim você poderá perceber mais facilmente problemas de postura, dicção, palavras mal utilizadas, falta de ritmo e outros problemas.
Outro ponto importante é chegar mais cedo no local da apresentação. Acostume-se ao ambiente, ao microfone se houver, teste todos os equipamentos que irá utilizar e verifique o material que será distribuído. Com isso você se sentirá mais seguro de que tudo sairá bem.
Chegando antes você também terá oportunidade de fazer um gesto simpático de receber os que irão chegar, criando um clima mais agradável e positivo para você.
Uma dica importante: faça um roteiro com os tópicos do que será apresentado. Mesmo que você não o utilize sempre será um apoio interessante em caso de problemas e também o deixará mais seguro. E se tiver que usa-lo para se posicionar no assunto não fique constrangido: use mesmo. Mas procure não ler ou ficar olhando pára ele a todo momento. As anotações são um auxílio e não uma muleta.
Ao começar sua apresentação procure não entrar imediatamente no assunto a ser apresentado. Fale de alguma amenidade ou faça uma pequena exposição sobre um assunto que você conhece bem: você mesmo. Isso fará baixar sua adrenalina e a ansiedade natural no palestrante.
Se esquecer o que deveria falar não fique nervoso: lembre-se que isso acontece com os palestrantes mais experientes. Consulte o seu roteiro para se localizar e vá em frente.
Tenho certeza de que essas dicas tão simples irão facilitar muito na sua próxima apresentação. Sucesso para você é o que desejo.

Categories: Carreira, Gestão

One Response so far.

  1. Ana Maria Braga disse:

    voce trouxe a tona alguns pontos muito maravilhoso, obrigado pelo post. Meu portugues nao anda muito bem, desculpa, estou tentando melhor nas aulas

Leave a Reply


*