O ADMINISTRADOR, A PÓS GRADUAÇÃO

E A MORTALIDADE DAS EMPRESAS

 Por Luiz Eduardo Gasparetto

Reconhecidamente um país com alto índice de empreendedores, pessoas dispostas a investir tempo, dinheiro e capacidade de trabalho em um novo empreendimento, o Brasil também é um país que detém um alto índice de mortalidade de empresas, conforme estudo do SEBRAE de São Paulo.

Segundo os resultados do estudo que foi feito por essa entidade no Estado de São Paulo, o índice de empresas que fecham as portas é bastante alto: 31% no primeiro ano de atividade, 50% até dois anos e 60% desaparecem do mercado até o quinto ano. E esses índices são maiores nas empresas de menor porte, aquelas que são comandadas pelos próprios empreendedores.

Os motivos para essa mortalidade dos novos negócios são diversos, mas um dos que mais chama a atenção é a falta de preparo dos empreendedores para gerenciar de maneira eficaz seu negócio.

Como se sabe, o empreendedor em geral tem habilidade para liderar, mas poucos têm desenvolvida a habilidade para gerenciar. São sonhadores que sabem visualizar novas oportunidades de negócios, mas têm dificuldade em manter o dia a dia da empresaem andamento. Conseguemdesenvolver uma estratégia de negócio, mas se atrapalham para implementá-la. São empreendedores de nascença, mas gestores empíricos e na improvisação levam muitas vezes a empresa a fechar as portas.

Chega-se à conclusão que para manter um negócio funcionando não basta ser um empreendedor, é preciso ser, também, um administrador. O empreendedor nem sempre está a par do que fazer no que se refere a administração do seu tempo, à delegação de tarefas para subordinados, ao planejamento e ao controle dos planos de ação, à comunicação eficaz com as pessoas que trabalham com ele e a administração das crises de relacionamento interpessoal. Tudo o que faz parte do dia de um administrador.

A saída é parar de improvisar e adquirir as habilidades necessárias para manter sua empresa se desenvolvendo, e é nesse momento que entram em ação os cursos de pós-graduação ligados ao gerenciamento de negócios, porque na improvisação o empreendimento, às vezes estabelecido à duras penas, tende a desaparecer depois de algum tempo, como mostra a pesquisa do SEBRAE, ou caminhar cambaleante e sem trazer o retorno esperado.

É nesses cursos de pós graduação que o empreendedor tem a oportunidade de aprofundar o estudo prático de matérias ligadas à liderança, marketing, estratégia, planejamento e outros assuntos com os quais um administrador deve lidar diariamente para levar um empreendimento ao sucesso.

Isso apresenta uma dúvida: qual é a validade de um curso de pós graduação para um empreendedor ou mesmo para administradores que concluíram apenas um curso de graduação?

A verdade é que muitos profissionais já estabilizados e com muitas experiências práticas em empresas estão voltando para os bancos escolares em cursos de pós-graduação por sentirem a necessidade de questionar aquilo que já sabem, para uma atualização profissional e até para abrir novos horizontes para a sua carreira.

Considerados até pouco tempo apenas como um diferencial na seleção de candidatos a emprego ou para promoção nas organizações, ou algo mais que seria interessante que um empreendedor fizesse, os cursos de pós-graduação adquiriram hoje status de requisito básico para que profissionais administrem com mais eficácia uma empresa, ocupem funções de maior responsabilidade ou sejam melhor considerados quando do preenchimento de uma vaga.

É através desses cursos que os participantes têm oportunidade de discutirem com professores, normalmente profissionais com experiência prática além de acadêmica, e com colegas de diversas áreas, as tendências do mercado e se aprofundarem nos assuntos exigidos para uma boa administração de negócios.

O objetivo dos cursos de pós graduação é justamente oferecer um aprendizado mais abrangente e não discussões sobre as teorias básicas. É o aprofundamento em assuntos através de estudo de casos e de discussões em grupos, onde se promove a troca de experiências num ambiente instigante, em que todos se sintam envolvidos e possam contribuir com suas experiências. Um ambiente ideal para aquele empreendedor que sente necessidade de se transformar, também, num gestor.

(Artigo escrito para  revista Pós Graduação)

Categories: Carreira

Leave a Reply


*