O PROBLEMA

Existe uma palavra que muitos não gostam de pronunciar ou de escutar dentro das empresas: PROBLEMA.

Uns se arrepiam só ao saber que ele existe: outros procuram escondê-los dizendo que “aqui não temos problemas”.

Na verdade todos nós, na vida particular ou profissional, convivemos com problemas todos os dias e é dessa forma, enfrentando-os e solucionando-os, que obtemos melhorias na nossa vida e no nosso trabalho.

A primeira coisa a fazer, portanto, é reconhecer que o problema existe. A segunda é encarar sua existência com naturalidade. E a terceira é partir com firmeza para enfrentá-lo e solucioná-lo.

Ao esconder uma dificuldade ou ao não querer reconhecer que ela existe estamos ajudando o problema a crescer e chegar a um ponto em que não podemos mais enfrentá-lo. E com isso podemos também estar envolvendo outras pessoas num problema que era nosso e que passa a ser de mais gente.

Se um problema aparece tente resolvê-lo, não deixe para depois, não tente esconder ou fazer de conta que ele não existe. Não faça como a avestruz que enterra a cabeça na areia achando que assim, não vendo o problema, ele se acaba ou se resolve.

O problema está ai e se você não enfrentar o problema que é seu outros terão que resolvê-lo.Só que nesse momento ele poderá estar tão grande que sua solução exigirá muito mais sacrifícios e gastos.

É identificando e solucionando o problema que abrimos caminho para nosso crescimento pessoal e profissional.

E a propósito me lembrei de uma estória japonesa sobre o assunto (autor não identificado), chamada O Guardião do Mosteiro. É mais ou menos assim:

O Guardião do mosteiro havia morrido e era preciso encontrar um substituto. O Grande Mestre convocou seus três discípulos mais experientes e lhes disse: “assumirá o posto aquele que resolver o problema que vou apresentar”.

Então, ele colocou em cima de uma linda mesa que estava no centro da sala um vaso de porcelana muito raro e, dentro dele, uma rosa também rara e de extraordinária beleza.

“Aqui está o problema”, disse ele.

Todos olharam para o vaso, entreolharam-se sem entender o que estava acontecendo. O que significava aquilo? Não entendiam onde estava o problema.

Depois de algum tempo, um dos discípulos se levantou, sacou sua espada, dirigiu-se ao centro da sala e… ZAPT. Dê um golpe só destruiu o vaso e a flor.

Tão logo o discípulo retornou ao seu lugar o Mestre disse:

“Você será o novo Guardião do Mosteiro”.

MORAL DA ESTÓRIA
Não importa qual seja o problema.
Não importa que ele seja algo lindíssimo.
Se for um problema, precisa ser eliminado,
porque um problema é um problema!

Categories: Carreira, Planejamento

Leave a Reply


*