PARA O BEM DO RELACIONAMENTO INTERPESSOAL,

VAMOS SER ASSERTIVOS

Por Luiz Eduardo Gasparetto

Martin Luther King disse:

“O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem-caráter, nem dos sem-ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons”!

Quando disse isso ele se referia a falta de assertividade que, infelizmente, é uma característica de muitas pessoas que, por razões diversas, preferem ficar caladas a colocar sua opinião, seus sentimentos, suas razões e suas idéias.

Conceito: assertividade é exprimir com tranqüilidade uma opinião ou um sentimento, mas respeitando a opinião do outro. É falar o que pensa ou sente, no momento certo para a pessoa certa, sem agressões.

Como saber se você é uma pessoa que não costuma praticar a assertividade?

Se você, em algumas situações desconfortáveis, prefere dizer sim quando gostaria mesmo é de dizer não, só para não magoar as pessoas ou não discordar delas, você não está sendo assertivo; se você não reage na hora a uma provocação ou situação incômoda e só encontra as palavras para responder duas horas depois do acontecido, você não está sendo assertivo; se você aceita fazer trabalhos que competem a outros mesmo estando repleto de serviço seu para fazer, só para não ser antipático, você não está sendo assertivo; se você não consegue dizer o que pensa na hora certa, talvez esteja mesmo faltando um pouco de assertividade na sua vida.

A dificuldade de uma pessoa em ser assertivo e exprimir seus sentimentos de maneira clara pode ter origem na infância, na maneira como ela foi educada. Pais muito rígidos, do tipo que dizem ao filho quando ele ameaça chorar que é para “engolir esse choro”, por exemplo, podem levar a pessoa a ser muito controlada com a expressão de suas emoções, a guardá-las para si.

Para a manutenção de um bom relacionamento interpessoal é importante controlar os impulsos, não ser agressivo, pois isso não ajuda em nada, mas isso não significa que a pessoa tenha que ser passiva guardando para si seus sentimentos. Não é preciso “chutar o balde”, mas também ficar calado e “engolir” a opinião não é bom para o relacionamento e também para a saúde.

Uma pessoa assertiva é pacífica sem ser passivo e sente-se bem quando diz sim, mas também não se sente constrangido quando precisa dizer não!

One Response so far.

  1. Rosane Aragão disse:

    Professor Gasparetto,

    Que artigo fantastico sobre assertividade! O silencio dos bons conforme Martin Luther King é deveras preocupante pois são estes que conseguem construir um mundo melhor. Lembrou-me Gandhi, este artigo, pois ele o era pacifico sem ser passivo e emitia seu juizo de valor sem ferir o do outro, respeitando sua opiniao e conseguindo mudar um país e isto apenas com o poder da palavra e servindo de inspiração a muitos.
    Obrigada pela contribuição constante para meu enriquecimento pessoal e profissional.
    Rosane Aragão

Leave a Reply


*