PENSE TAMBÉM NOS EXERCÍCIOS PARA O CÉREBRO

Por Luiz Eduardo Gasparetto

Percebe-se que hoje as pessoas estão cada vez mais preocupadas com a saúde, o bem estar e a qualidade de vida e isso as tem levado a, entre outras coisas, cuidarem mais do corpo através de atividades físicas variadas.

As academiais estão repletas de novos participantes e uma pesquisa mostra que, em dez anos, o número de academias no Brasil passou de pouco mais de 700 para mais de 14.000. Nas ruas vemos pessoas caminhando ou correndo e as competições de corrida têm cada vez mais participantes amadores.

Cuidar do corpo é muito bom, mas não basta apenas isso e cuidados com a alimentação para melhorar a qualidade de vida, viver melhor e retardar o envelhecimento. É preciso, também, cuidar do cérebro, nosso órgão mais importante (responsável pela manutenção da vida) e o único do corpo humano que, quanto mais você usa melhor ele fica no desempenho de suas funções.

É verdade, o cérebro foi feito para usar e gastar, mas a maioria das pessoas parece não perceber isso e a atenção é quase exclusiva para os cuidados com o corpo.

Um cérebro estimulado constantemente nos leva a uma situação de aproveitamento melhor da vida e isso não significa apenas treinar a memória para se lembrar de alguns fatos, datas ou números de telefone, mas sim treinar o cérebro como um todo para um desempenho melhor.

O desenvolvimento de novas sinapses (as ligações entre os neurônios) e o fortalecimento das ligações já existentes permitirá que as informações sejam transmitidas mais facilmente pela rede neural, cheguem mais rapidamente ao nosso lobo frontal e sejam processadas com mais rapidez.

Quantas vezes, no seu trabalho, você já se espantou com a memória de alguns colegas que lembram de coisas que a maioria não lembra? Na escola acontece a mesma coisa: nas provas sempre aparecem aqueles alunos que são os primeiros a completá-las, e de maneira correta.

Fenômenos? Mais inteligentes? Não, apenas que as ligações entre suas sinapses estão funcionando melhor do que a de outros colegas. Mas o importante é que você também pode conseguir esse resultado através de uma preparação do cérebro.

Basta desenvolver exercícios que irão fazer com que as ligações entre as sinapses sejam fortalecidas e recomendo para isso a a Ginástica Cerebral. Espantado? Pois se o cérebro é um músculo ele pode ser fortalecido através de ginástica. Mas é evidente que não poderá ser uma ginástica das tradicionais, mas uma específica: a Ginástica Cerebral.

A Ginástica Cerebral foi desenvolvida a partir da década de 70 por uma equipe de cientistas da Universidade da Califórnia, coordenada por um médico chamado Paul Denisson. O Dr. Denisson uniu a pesquisa científica de laboratório com alguns princípios de filosofias e técnicas orientais, como o tai chi chuan, acupuntura, yoga e outros, criando assim uma série de exercícios que têm como finalidade aumentar as sinapses.

São exercícios muito simples de serem executados e não têm contra indicação, e a vantagem é tornar o cérebro mais ativo, percebe melhor as coisas.

Sugiro que você conheça esses exercícios e os pratique, o que irá facilitar sua vida no estudo, no trabalho e no dia a dia.

Leave a Reply


*