QUAL SUA PRETENSÃO SALARIAL?

Um dos momentos mais delicados na entrevista de seleção é quando o entrevistador faz a temida pergunta ao entrevistado: “qual sua pretensão salarial”.

Se a pergunta foi feita apenas nesse momento isso significa que o entrevistado agiu corretamente, isto é, até aquele instante não havia informado, no currículo, ficha ou por qualquer outra forma, o salário que tem em mente receber se for admitido. Os especialistas recomendam que este ponto muito importante seja tratado apenas na entrevista, em contato direto com o selecionador e depois de saber qual é a empresa, a função a ser exercida e as suas responsabilidades.

É comum, ao responder um anúncio enviando um currículo, o candidato se deparar com a frase “imprescindível enviar pretensão salarial” e fica receoso que seu currículo não seja considerado se essa informação não for colocada.

Então, mesmo não sabendo qual a empresa para onde o currículo esta indo (quando é o chamado anúncio fechado, sem indicação da empresa e apenas uma caixa postal ou um e-mail para resposta), quais as responsabilidades do cargo e os benefícios oferecidos, ele coloca a sua pretensão salarial. E nesse momento ele pode estar dando ao selecionador a chance de eliminá-lo antecipadamente do processo.

O salário colocado como pretensão pode estar muito acima da faixa salarial da empresa, porque esta tem um salário mais baixo, mas muitos benefícios que o compensam. Resultado: eliminação precoce.

O salário colocado pode estar muito abaixo da faixa salarial da empresa, uma grande multinacional, por exemplo. O candidato não sabia disso e, preocupado em ser chamado para a entrevista (as vezes esta desempregado) solicita um valor muito baixo, dando a entender que não confia em suas possibilidades. Resultado: eliminação precoce.

O que fazer então?

Alguns escrevem algumas coisas que, em nome do bom senso, devem ser evitadas, como por exemplo:

– a combinar. É evidente que o salário será combinado entre candidato e empresa, não precisa ser dito isso.

– a critério da empresa. Bem, se é a critério da empresa esta pode oferecer um salário ínfimo e ai, o candidato deve aceitar?

– faixa de mercado: será que o candidato conhece a faixa salarial de seu cargo no mercado de trabalho?

O que fazer então?

O melhor, segundo recomendação dos especialistas em seleção, é não escrever nada. Deixar para conversar sobre isso na entrevista, depois que o candidato já souber qual é a empresa, os benefícios oferecidos por ela e as responsabilidades do cargo ao qual está se candidatando.

Segundo eles, se o candidato tiver um bom currículo, nenhum selecionador irá eliminá-lo sem chama-lo para a entrevista apenas pelo fato de não constar a informação sobre o salário pretendido.

Agora, é preciso se preparar para esse momento. Fazer uma pesquisa em jornais que apresentam pesquisas salariais, para verificar faixa de salário no mercado, consultar sindicatos ou associações para verificar se eles tem valores salariais básicos para o cargo, consultar amigos que fazem a mesma coisa em outras empresas e, se estiver desempregado, fazer uma atualização do ultimo salário recebido.

Somando esses valores e encontrando uma média aritmética o candidato terá um valor de referência na hora da entrevista, evitando que ele chegue a ela totalmente despreparado e acabe aceitando o valor oferecido pela empresa, por falta de informação e sem possibilidade de negociar.

A entrevista é o momento certo para negociar o salário. O candidato não deve ficar acanhado. Não pode esquecer que o negociado deverá ser respeitado, porque nada irrita mais na empresa quando um recém admitido começa logo depois a reclamar do salário que esta recebendo, ao verificar que na empresa existem ocupantes de funções com menor responsabilidade ganhando mais do que ele.

Categories: Carreira, Planejamento

Leave a Reply


*