Untitled-1Você pode imaginar como seria bom viver em um lugar quentinho, seguro, sem surpresas, aonde você se sentiria bem e aonde não ocorreriam situações que estivessem fora de seu controle? Seria bom, não seria?

Pois lhe digo que esse lugar nem sempre é um bom lugar para se viver.

Esse lugar é chamado de “zona de conforto” e o nome já diz tudo: é um lugar aonde você se sente confortável e protegido das ameaças da vida profissional e pessoal. Mas também é um lugar que, provavelmente, o transformará numa pessoa acomodada, medrosa para enfrentar novos empreendimentos, com pouca ou nenhuma iniciativa e com falta de criatividade.

Em um momento como o que vivemos agora na economia, quando o desemprego é uma ameaça que paira sobre os colaboradores de maneira geral, independente da empresa em que atuam ou da função e nível hierárquico que ocupam, a “zona de conforto” é um lugar que se torna, cada vez mais, um lugar atraente, desejado e aconchegante.

E as consequências disso? É um lugar cada vez mais procurado por aqueles que querem, a todo custo, preservar seus empregos. E é nesse momento que as empresas sofrem uma espécie de paralização por total falta de iniciativa de seus colaboradores e de ações que as levem a melhorar seus resultados.

A “zona de conforto” dos colaboradores faz com que a empresa fique paralisada, simplesmente esperando que as coisas no mercado voltem a funcionar para que ela saia dessa letargia.

É nesse momento que você deve procurar se destacar dentro da empresa saindo dessa “zona de conforto” e correndo alguns riscos, é verdade, mas também mostrando paraos executivos da empresa sua disposição de criar coisas novas que possam melhorar os resultados.

Não fique acomodado em sua “zona de conforto”, mesmo porque não existe nenhuma garantia de que, ficando nela, uma eventual onde de demissões na sua empresa não o atingirá. Arrisque. É o momento de se destacar!

Categories: Liderança, todas

Leave a Reply


*