TRABALHANDO EM CASA

Por Luiz Eduardo Gasparetto

Uma modalidade de trabalho que vem se tornando popular e ganhando espaço entre profissionais de diversas áreas é o chamado home office ou o trabalho realizado em casa.

Acredita-se que, hoje, aproximadamente 20% dos trabalhadores já realizem em tempo integral ou parcial as suas atividades profissionais em sua própria residência e isso inclui tanto autônomos quanto trabalhadores com registro em carteira.

Alguns trabalham sempre em casa, indo esporadicamente à empresa para uma reunião ou para alguma etapa do projeto, outros trabalham parte do tempo em casa e parte no escritório.

Esse tipo de trabalho em casa traz uma série de vantagens, tanto para a empresa quanto para o colaborador.

Para a empresa a grande vantagem é a redução de custos de manutenção do escritório (água, luz, telefone etc) e de aluguel de espaço. Alem disso, ela pode contar com o colaborador trabalhando (ao menos teoricamente) 24 horas por dia e todos os dias da semana.

Também conta com trabalhadores mais motivados por poderem realizar suas atividades pessoais sem precisar pedir autorização para o chefe e mais descansados, já que não precisam se deslocar até o local de trabalho.

Para o trabalhador as vantagens também são grandes. Em primeiro lugar a diminuição do estresse causado pelos deslocamentos pela cidade, cada vez mais difíceis, a economia de combustível, de manutenção do veículo ou de passagens de transporte coletivo, de refeições e estacionamento é algo substancial que pode ser sentido no bolso.

Particularmente para o trabalhador, outra vantagem é a possibilidade de controlar seu horário dividindo-o entre atividades profissionais e particulares, alem de se sentir menos controlado, já que ninguém o está “vigiando”.

Agora, não imagine que tudo são flores no universo do trabalho em casa: existem muitos espinhos que precisam ser considerados antes de se decidir por esse tipo de trabalho.

Um deles é que em casa o profissional não tem a mesma estrutura de trabalho que ele encontra no escritório, pelo menos em termos de equipamentos e de espaço disponível, que em casa é limitado. Alem disso, em certos momentos, ele precisa do apoio de colegas para uma ajuda profissional ou, pelo menos, no incentivo à conclusão de tarefas, o que em casa se torna quase impossível.

Outro empecilho pode ser a dificuldade em manter o foco no trabalho, pois em casa as possíveis distrações são muitas. A geladeira sempre à mão é uma delas, outra é a televisão acessível através de um virar de cadeira. As crianças que precisam de atenção e o cachorro que precisa passear são outros pontos que podem tirar o foco do trabalho, sem contar a faxineira que, afinal, precisa limpar a casa.

Primordial também é ter um canto só seu para realizar seu trabalho em paz e para que todos da família saibam que quando você está lá é porque está trabalhando e não deseja ser interrompido por qualquer motivo. Se tiver uma porta que você possa fechar, melhor anda. Não é possível montar seu escritório na mesa da sala, por exemplo, e precisar desmonta-lo para as refeições ou quando chega alguma visita.

Portanto, a primeira coisa a fazer quando se resolve trabalhar em casa é levantar de maneira objetiva os prós e contras da decisão.
Finalmente, é preciso uma auto avaliação: se você é disciplinado, se tem a responsabilidade e o comprometimento necessários que essa modalidade de trabalho exige. Se a resposta for sim e as vatagens em número maior do que as desvantagens, então encare a independência do trabalho em casa como algo que irá melhorar a sua qualiade de vida e vá em frente.

Leave a Reply


*