VOCÊ É UM GESTOR OU É UM EXECUTOR?

Por Luiz Eduardo Gasparetto

   Um dos maiores desafios do gestor recém promovido para a função é esquecer que foi um executor e encarar o fato de que, agora, é um gestor e que, portanto, suas responsabilidades na nova função são diferentes da que eram na função de executor.

Qual a principal diferença entre o trabalho de execução e de gestão?

Na execução o resultado do trabalho depende exclusivamente do suar de camisa do executor, do seu empenho, dedicação e conhecimentos para realizar a tarefa.

Na gestão o resultado final não dependerá mais do esforço e suar de camisa do gestor, mas sim de outros que ele irá gerenciar e que, eles sim, irão suar a camisa e se esforçar para concluir com êxito a tarefa.

Imagine por exemplo uma padaria. Lá está o padeiro, o executor, aquele que ira colocar a “mão na massa” literalmente. Do seu esforço, dedicação e aplicação dos seus conhecimentos é que sairá o produto final, no caso o pão.

E o gestor? Ele é o dono ou gerente da padaria. Ele não irá por a mão na massa (a não ser eventualmente numa emergência) e, portanto, o pão não sairá do forno por interferência direta sua. Mas ele tem uma participação indireta muito grande na tarefa, porque ele é quem selecionou o padeiro, lhe deu o treinamento necessário, definiu que tipo de pão seria confeccionado e em que horário ele seria feito, avaliou o desempenho do padeiro e o estimulou no trabalho e controlou a qualidade do pão após sair do forno.

Além disso ele atende os fornecedores, recebe o pagamento dos clientes e escuta e encaminha suas reclamações, levanta o estoque para saber o que precisa ser comprado, muda os horários da fornada para atender mudanças na demanda. Tudo isso, que envolve planejamento, organização e controle são suas responsabilidades básicas, mas não é ele que põe a mão na massa. Ele não executa, mas administra de maneira eficaz e eficiente os recursos disponíveis e gerencia as pessoas. Ele é o gestor.

Saber diferenciar administrar de executar é uma das primeiras dificuldades que o novo gestor enfrenta e, se não consegue distingui-las, ele poderá estar executando tarefas que são da responsabilidade de subordinados e delegando a eles tarefas que são de sua responsabilidade.

Ele precisa saber que, apesar de provavelmente ter sido promovido a gestor pela sua habilidade de executar, agora essa habilidade deverá ser colocada em segundo plano para dar lugar a outra até mais importante: a de gerenciar, multiplicando com isso seus conhecimentos e experiência entre todos os seus novos subordinados.

Quantas vezes encontramos nas empresas gestores que mais executam do que administram, porque ainda não entenderam que gerenciar ou gerir é a mais importante contribuição que ele pode dar para sua empresa.

É responsabilidade de quem promoveu o novo gestor mostrar a ele as diferenças entre executar e gerenciar e a importância dele se responsabilizar pelo gerenciamento, delegando aos subordinados as tarefas de execução.

Categories: Gestão, Liderança

2 Responses so far.

  1. Marly Brito disse:

    Prof.Gasparetto,

    Ao acessar o seu Blog e ler os artigos com tão relevante conteúdo nele inseridos, certifiquei-me da sua grande contribuição não apenas a nós, alunos da FMU e futuros gestores de RH, mas também a todos aqueles que apreciam e buscam a excelência do conhecimento.

    Parabéns!!!

  2. Gasparetto disse:

    Obrigado pelo apoio Marly.

    Continue lendo o blog e contribua sempre para que ele melhore e seja útil a quem nos acompanha.

    Um abraço.

    Prof. Gasparetto

Leave a Reply


*